Série: UM PANORAMA DA GLOBALIZAÇÃO E DO CAPITALISMO – Parte 1/9: Poder, fronteiras e identidades

                   
0
912

Imagem relacionadaPor Denilson Alexandre Coêlho

 

Com uma visão panorâmica sobre todo o crescimento e desenvolvimento do capitalismo é possível perceber que o mundo percorreu um longo caminho de transformações. A globalização não foi um processo instantâneo. O capitalismo não nasceu de um único fato. O poder não foi constituído ao acaso. As fronteiras não se formaram por um único evento. As identidades não se formaram pelo simples movimento consciente do saber humano.

As grandes potências mundiais conduziram a dinâmica capitalista por meio de políticas que definiram sobremaneira toda a realidade mundial. Cada uma há seu tempo, Inglaterra e Estados Unidos aproveitaram todo o poder conquistado para influenciar as decisões que envolviam as relações entre os diversos Estados de sua época. Para isso, precisaram utilizar todo o aparato que o capitalismo disponibilizava, fosse para a conquista, para a exploração ou para a manutenção do status quo. O poder é utilizado para permanecer no poder, mas é importante salientar que, na História, o poder não perdura para sempre.

As fronteiras estão em constante formação, entretanto, com o capitalismo passaram a ser mais flexíveis e rígidas ao mesmo tempo. A rigidez se dá pelas guerras que devastam imensos territórios à custa de milhares de vidas, e, mais flexíveis porque com o mundo digital as barreiras diminuíram e os espaços encurtaram, além da imensa distribuição de itens físicos ou intelectuais.

É possível influenciar o saber e o querer humano com uma série de estímulos que ao final tornam-se íntimos mesmo não o sendo. A identidade de uma população pode ser manipulada de acordo com os passos que a potência hegemônica sugere ou impõe. A globalização facilitou ou não a disseminação de novos valores?

Observar os caminhos do capitalismo é descobrir por qual rumo o mundo está se encaminhando e, principalmente, que direção está tomando. O capitalismo enfrentou muitos desafios proporcionando diversas batalhas e seus ciclos são inconstantes e devastadores, suas fases transformam o ser humano e o mundo constantemente. Estas são questões que serão apresentadas com o objetivo de apresentar um panorama geral sobre o capitalismo. Boa leitura.

Fica a dica!!!

Quer saber mais? Leia:

BAUMAN, Zygmunt. Capitalismo Parasitário e outros temas contemporâneos. Rio de Janeiro: Zahar 2010.

CHOMSKY, Noam. O império americano: hegemonia ou sobrevivência. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

FRIEDEN, Jeffry A. Capitalismo Global: história econômica e política do século XX. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

HOBSBAWM, Eric. Era dos Extremos: O breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

MARX, Karl. O Capital. Livro 1: O Processo de Produção do Capital. São Paulo: Nova Cultural, 1997.

REIS FILHO, Daniel Aarão (org). O Século XX: o tempo das crises. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

WALLERSTEIN, Immanuel. Capitalismo Histórico e Civilização Capitalista. Rio de Janeiro: Contraponto, 2001.

______________. Após o liberalismo: em busca da reconstrução do mundo. Petrópolis: Vozes, 2002.

WEBER, Max. A Ética Protestante e o Espírito do Capitalismo. São Paulo: Pioneira, 1996.

Deixe aqui um breve comentário.