Capitão América

                   
0
946

Resultado de imagem para cap america 1941Por Denilson Alexandre Coêlho

Em 1941, os americanos Joe Simon e Jack Kirby criaram um personagem de histórias em quadrinhos extremamente patriótico e altamente político. O Capitão América surgiu em plena 2ª Guerra Mundial (1939 a 1945) para combater os grandes inimigos da América e do mundo, ingressando, assim, no rol dos personagens mitológicos americanos, tornando-se mais um super herói a embalar os sonhos e ideais da sociedade.

Joe Simon e Jack Kirby são dois americanos com descendência austríaca e judia. As pessoas que mais sofreram com a 2ª Guerra Mundial foram os judeus. Os nazistas implementaram uma política de limpeza étnica que simplesmente culminou na morte de aproximadamente 8 milhões de judeus – mais tarde denominado “Holocausto”. É nesse contexto que o Capitão América nasce para defender o mundo contra uma organização que tem como objetivo único e exclusivo dominar a terra e impor sua lei sobre todos.

Steve Rogers é o cidadão por trás do Capitão América. Personagem fictício, Rogers é um jovem fraco e doente que possui um caráter inabalável e um sentimento patriótico inquestionável. Seu maior sonho era lutar na 2ª Grande Guerra Mundial ao lado de seus compatriotas. Mas com sua saúde debilitada e seu corpo franzino foi proibido de servir a pátria como soldado. Diante das diversas investidas em servir e das outras diversas negativas, seu espírito incansável o levou a fazer parte de um experimento até então impossível para qualquer ser humano. Foi assim que nasceu o Capitão América.

Que poderes este grande herói recebeu após o bem sucedido experimento?

Na verdade, seu maior superpoder sempre esteve dentro de si: seu caráter, seu sentimento patriótico, sua inabalável crença na sociedade norte americana e na humanidade. Esses são seus superpoderes. No entanto, após o experimento ao qual foi submetido, seu corpo se tornou extremamente forte, veloz, ágil e com uma incrível capacidade de regeneração.

Foi espetacular a transformação física deste super-herói, mas somente foi possível seu desenvolvimento no sentido de defender seu país e o planeta, graças aos seus superpoderes preexistentes. Além disso, seu escudo feito de um metal extremamente forte se tornou uma de suas maiores armas de defesa e ataque.Imagem relacionada

Assim como o Superman, o Capitão América traz uma mensagem muito clara para aquele contexto social e político pelo qual a sociedade americana estava passando. Os Estados Unidos se envolveram em uma Guerra longe de seu território para defender outros países e sobre a qual não havia nenhum interesse “aparentemente”. Com o crescimento do comunismo, do nazismo e do fascismo, as questões políticas e econômicas mundiais estavam pendendo para uma crescente perda do controle norte americano frente a Europa. Com isso, foi inevitável a entrada dos EUA no conflito. E para que a sociedade aceitasse tal envolvimento, foi necessário a presença de um super-herói capaz de motivar e arrebanhar novos voluntários para o serviço da pátria. Esse super-herói deveria ser abnegado, obediente e leal em seus princípios patrióticos. Nada melhor que um soldado guerreiro que dá o exemplo e que luta ao lado de seus companheiros para inspirar todo um país. O grande Capitão América é o perfeito exemplo de soldado e patriota.

No entanto, com o fim da 2ª Guerra, o glorioso Capitão perdeu seu sentido de ser. Suas aventuras não tinham mais o mesmo apelo quanto antes. Diante deste horizonte tenebroso e uma perspectiva de decadência do herói, seus autores reinventaram o Capitão América para enfrentar novos inimigos. Mas não teve o mesmo sucesso e, por fim teve de se aliar com novos personagens como o famoso grupo chamado “Os Vingadores” cuja formação original conta com o Homem de Ferro, Tor, Hulk, Homem Formiga e Vespa.

Na década de 1970, ocorreu o famoso escândalo chamado “Watergate”, em que a cúpula do executivo federal americano foi acusada e condenada por um grandioso esquema de corrupção que desestabilizou toda a sociedade e os ideais norte-americanos. Diante deste poderoso golpe na democracia, o glorioso Capitão América, envergonhado de seu país, passou a se chamar “Nômade”, ou seja, o sem pátria. Foi um breve período de isolamento e de decepção, pois rapidamente o incrível Capitão América voltou a lutar contra os inimigos da pátria.

A segunda metade do século XX não foi muito gloriosa para o nosso herói patriótico. Apenas algumas poucas Histórias em Quadrinhos foram publicadas, mas sem muita expressividade. E somente no século XXI foi que este personagem efetivamente ganhou as telas de cinema.Resultado de imagem para capitão america

Seus principais filmes foram:

– Capitão América: O primeiro Vingador (2011);

– Os vingadores (2012);

– Capitão América: O Soldado Invernal (2014);

– Vingadores: Era de Ultron (2015); e

– Capitão América: Guerra Civil (2016).

Filmes muito bons que retrataram toda a essência e evolução desta figura mitológica norte-americana.

Por fim, cabe uma pergunta. Por que um personagem extremamente regionalizado pode se transformar em um sucesso mundial? Um dos principais motivos são seu caráter e seu modo de defender sua pátria, tornando-se um ideal de comportamento para os cidadãos do mundo inteiro. E é exatamente essa uma das funções do mito: formar um ideal de comportamento humano capaz de padronizar e transformar toda uma sociedade.

Fica a dica!!!!

Quer saber mais? Leia:

CAMPBELL, Joseph. (org.). Mitos, sonhos e religião. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001.

_________________. O poder do mito. São Paulo: Palas Atena. 1990.

ELIADE, Mircea. Tratado de história nas religiões. 2ª ed. São Paulo: Martins Fontes. 1998.

FRIEDEN, Jeffry A. Capitalismo Global: história econômica e política do século XX. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

HOBSBAWM, Eric. Era dos Extremos: O breve século XX: 1914-1991. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

REIS FILHO, Daniel Aarão (org). O Século XX: o tempo das crises. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005.

SOUSA, Eudoro de. Mistério e Surgimento do Mundo, Mitologia 1. Brasília: EdUnB. 1988.

SOUSA, Eudoro de. História e mito – mitologia 2. Brasília: EdUnB. 1988.

WALLERSTEIN, Immanuel. Capitalismo Histórico e Civilização Capitalista. Rio de Janeiro: Contraponto, 2001.

Documentário: Super-heróis decifrados: HistoryChannel, 2017.

Site: Aficionados

https://www.aficionados.com.br/ordem-filmes-series-marvel/

Site: Wikipedia

https://pt.wikipedia.org/wiki/Capitão_América

Deixe aqui um breve comentário.