Ceticismo

                   
0
1049

Imagem relacionadaPor Denilson Alexandre Coêlho

Você é cético?

Mas, o que é ser cético?

A palavra ceticismo tem origem grega e significa incredulidade, dúvida.

Como corrente filosófica, o Ceticismo foi fundado pelo grande filósofo grego Pirro (318 a.C. – 272 a.C.). Pirro pensou o mundo de uma maneira completamente diferente do que se vivia em seu tempo. Enquanto o mundo para os gregos era baseado em doutrinas que evidenciavam o determinismo e o dogmatismo da realidade humana. Pirro pensou o mundo como sendo um eterno questionamento. Para ele não existia uma verdade absoluta, tudo era passível de dúvida.

Portanto, para Pirro, devemos olhar o mundo com indiferença e tendo a certeza de que não existe uma certeza absoluta.

E aí? Você é cético?

Você questiona e duvida de tudo e de todos?

Você vive uma eterna indiferença quanto a verdade absoluta?

Para os cristãos, há um célebre episódio em que São Tomé duvida dos demais apóstolos quanto a ressurreição de Jesus. São Tomé foi essencialmente cético nesta ocasião, pois questionou a veracidade do relato dos demais e somente acreditou quando o próprio Jesus apareceu a ele. Esse é um pequeno exemplo do ser cético, tratou a verdade com indiferença, duvidou das palavras de seus amigos e ainda questionou sobre a pretensa certeza do acontecido.

No ENEM de 2016, a questão número 28, da prova azul, do caderno 1, apresenta um texto que fala sobre a vida de Pirro e seu modo cético de ver o mundo. A verdade é impossível, a certeza é improvável e a indiferença um modo peculiar de viver a racionalidade humana. Ou seja, a letra “C” da questão 28 é a correta.

Veja abaixo, a questão na íntegra.

QUESTÃO 28 Prova Azul, Caderno1, ano 2016

Pirro afirmava que nada é nobre nem vergonhoso, justo ou injusto; e que, da mesma maneira, nada existe do ponto de vista da verdade; que os homens agem apenas segundo a lei e o costume, nada sendo mais isto do que aquilo. Ele levou uma vida de acordo com esta doutrina, nada procurando evitar e não se desviando do que quer que fosse, suportando tudo, carroças, por exemplo, precipícios, cães, nada deixando ao arbítrio dos sentidos.

LAÉRCIO, D. Vidas e sentenças dos filósofos ilustres. Brasília: Editora UnB, 1988.

O ceticismo, conforme sugerido no texto, caracteriza-se por:

A Desprezar quaisquer convenções e obrigações da sociedade.

B Atingir o verdadeiro prazer como o princípio e o fim da vida feliz.

C Defender a indiferença e a impossibilidade de obter alguma certeza.

D Aceitar o determinismo e ocupar-se com a esperança transcendente.

E Agir de forma virtuosa e sábia a fim de enaltecer o homem bom e belo.

Fica a dica!!!

Deixe aqui um breve comentário.