A internet e a pesquisa histórica

                   
0
653

Por Denilson Alexandre Coêlho

A internet é um importante instrumento de pesquisa histórica. É possível pesquisar sobre diversos assuntos sem sair de casa. Hoje temos em nossas mãos um conteúdo acumulado de mais de cinco milênios de existência da escrita. E o século XX foi testemunho do nascer da INTERNET.

Foi em 1960, em plena Guerra Fria, que surgiu o embrião do que hoje conhecemos como Internet. Os objetivos eram armazenar e compartilhar dados militares com a maior segurança possível. A ideia foi tão eficiente que em pouco tempo todo o mundo já estava interligado por uma infinidade de computadores, a Word Wibe Web, o famoso “WWW”, ou Internet.

Não existe um órgão responsável pelo controle das mensagens contidas na internet. As regras de acesso e circulação de dados devem partir de cada país. Entretanto, diversas entidades se reúnem frequentemente para estabelecer protocolos para formatação e criação de informações.

O conhecimento humano não está mais armazenado somente em meios físicos. Uma quantidade incalculável de informações está armazenada em uma “nuvem”. Isso mesmo!!! em uma “nuvem”. Termo utilizado para designar o local em que os dados são salvos na internet. Muito diferente dos papiros, pedras ou até mesmo o papel, muito utilizados durante os milênios anteriores.

O meio físico ainda é importante e necessário. Os livros de papel, os objetos arqueológicos e todos os demais itens históricos são de extrema importância para a História. Mas também é importante salientar que a internet veio para auxiliar o ser humano em sua empreitada nos mais diversos nichos de conhecimento.

Portanto, a internet deve sim ser utilizada como instrumento de pesquisa histórica.

Fica a dica!!!

Quer saber mais?

COÊLHO, Denilson Alexandre. Saiba pesquisar na internet com segurança e qualidade. eBook. Dicas de História, 2017.

SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do Trabalho Científico. 23ª Ed. Ver e atual. São Paulo, SP: Cortez, 2007.

REIS, José Carlos. Teoria e História: tempo histórico, história do pensamento histórico ocidental e pensamento brasileiro. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

Deixe aqui um breve comentário.